Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Casal Mistério

Casal Mistério

novidade! novidade! abriu um restaurante de frangos de um chef michelin no mercado da ribeira (e nós não gostámos)

17.05.15

20150423_Chicken_All_Around_JS-7884 (1).jpg

- Boa noite. Como é que é este frango ML Style?

- Hmmm... Sei que tem vários ingredientes.

- Pois, isso eu desconfio que possa ser verdade.

- E sei que um dos ingredientes é espargos. É que há muita gente que não gosta... Mas o melhor é perguntar à minha colega ali.

Esta minha conversa não foi com o segurança do Mercado da Ribeira, em Lisboa. Nem com o responsável da manutenção. Foi mesmo com uma empregada do novíssimo Chicken All Around, o último restaurante do chef Miguel Laffan, o próprio do "ML". Dirigi-me diligentemente até à "minha colega ali" e repeti a pergunta.

A senhora olhou de forma atrapalhada para um conjunto de folhas à sua frente. Começou a virá-las freneticamente. Depois procurou no verso. E acabou por se virar para uma terceira colega, que estava atrás de si, a perguntar. E foi esta heróica senhora que conseguiu finalmente esclarecer esta minha dúvida hiperbólica. O frango ML Style é igual a um cachorro, mas com salsicha de frango.

 

20150423_Chicken_All_Around_JS-7667 (2).jpg

Esclarecida a questão, vamos ao que importa: não pedi o frango ML Style, era só mesmo uma questão de curiosidade. O Chicken All Around abriu há poucas semanas – como se pode perceber pela conversa acima – e é o novo projecto dos donos do Porto de Santa Maria, em Cascais, e do chef Miguel Laffan, vencedor de uma estrela Michelin no restaurante do L'AND Vineyards, no Alentejo. Para já, abriram no Mercado da Ribeira, no Verão contam abrir no Mercado da Vila, em Cascais. Miguel Laffan criou a ementa e acompanha todo o processo, o chef executivo é João Oliveira. E isso pode ser um problema. Porque, apesar de ter bons petiscos, o frango "acompanhado" por Laffan está muito longe dos melhores frangos que se comem por aí.

20150423_Chicken_All_Around_JS-7930 (1).jpg

A ementa

Excluído o ML Style, resolvi encher dois tabuleiros e provar o máximo de pratos que consegui (este blog está a destruir a minha relação com os cintos das calças). Primeiro, os petiscos – que são claramente o melhor.

Comecei por pedir uma espetada de corações de galinha (€2,50) que vem servida numa taça, já fora do espeto e acompanhada por um óptimo molho que lhe dá um sabor intenso e agradável. Depois, provei um bom paté de fígados (€2,50) que dá perfeitamente para dois. Vem, no entanto, acompanhado por umas tostas grossas demais para o meu gosto, douradas por fora e fofinhas por dentro – com o miolo ainda mole.

Até aqui, não estava deslumbrado com o novo restaurante, mas pelo menos tinha achado razoáveis as criações do chef Michelin à volta do frango de churrascaria. O pior veio depois.

MT_fígado_03.jpg

Como prato principal, pedi meio frango chimichurri (€6,90) que é temperado com este molho típico da Argentina, feito à base de azeite, vinagre, salsa e alho e que aqui é servido numa versão não-picante. O problema é que o molho deve ter sido usado apenas antes de cozinhar. E o resultado acaba por ser um frango saboroso, mas muitíssimo seco, sem qualquer vestígio de líquido nas imediações.

Para acompanhar, resolvi arriscar na batata doce (€2,50), feita com lima, coentros e chili. Mais um erro. O que vem para o prato é o interior da batata esmagado e com um leve sabor a lima. Mas o pior nem é o facto de não se dar sequer pelo picante do pimento, é mesmo a consistência da batata. Servida sem pele, é colocada no prato como se fosse um empadão, o que nos deixa embuchados, com duas bochechas à Mário Soares, ao fim da primeira garfada. Mesmo com a ajuda Dela (e olhe que é uma ajuda poderosa...) ficou mais de metade da batata doce no prato.

Nesta fase, já só queria era provar um doce. Mas não tive coragem de correr mais um risco e pedir as bolas de Berlim do Chicken All Around. Acabei na outra ponta do mercado, no...

...se calhar, não vou dizer – e guardo a sobremesa para outro post.

20150423_Chicken_All_Around_JS-7963 (1).jpg

O serviço

Tirando a desorientação do início, foram sempre muitíssimo simpáticas. E, quando viram o meu desespero a tentar equilibrar sozinho dois tabuleiros com quatro pratos em cima (Ela preferiu jantar noutro sítio), qual malabarista da sofreguidão gastronómica, uma empregada ofereceu-se logo para me ajudar a levar a comida à mesa. Felizmente consegui desenrascar-me e não tive de passar por esse momento humilhante que era levar tanta comida para uma pessoa que não a conseguia transportar sem ajuda.

O serviço aqui funciona de uma forma mais confortável do que num simples self-service. Vai ao balcão fazer o seu pedido e pagar. Depois dão-lhe um aparelho que vibra quando a comida está pronta. Ou seja, pode ir procurar mesa à vontade ou buscar uma bebida a outro lado enquanto lhe preparam a refeição. No meu caso, tive tempo de ir buscar uma boa cerveja artesanal à banca da Super Bock, procurar mesa, sentar-me, beber quase toda a cerveja e ver a minha querida Mulher Mistério comer metade do seu jantar. No total foram mais de 15 minutos de espera.

1499642_824338074291773_7504982956706091352_n.jpg

O ambiente

O Mercado da Ribeira está com uma vida incrível. Cheio de turistas, consegui sentar-me entre uma família de inglesas, um grupo de italianos e um casal de brasileiros. É um espaço animado e com uma oferta enorme. É difícil arranjar mesa, mas a logística funciona bastante melhor do que o Mercado de Campo de Ourique. Só o facto de haver bebidas em cada um dos restaurantes, facilita bastante a vida dos clientes.

E, depois do jantar, pode comprar qualquer coisinha na loja da Vida Portuguesa que existe ali – é sempre irresistível.

20150423_Chicken_All_Around_JS-7832 (1).jpg

As crianças

Existem dois menus infantis que custam €5,50: um com canja, meio frango e batata frita; e outro com canja, hot dog de frango e batata frita.

 

O bom

Os corações de galinha

O mau

O frango

O péssimo

A batata doce

 

Um bom frango para si onde quer que as estrelas Michelin estejam,

Ele

 

fotos: chicken all around; mercado da ribeira

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    casalmisterio

    23.05.15

    Caro Miguel,
    Deixe começar por lhe agradecer a sua atenção e, acima de tudo, a educação com que encara as críticas. Como pode calcular, dá-me muito mais prazer escrever sobre um restaurante que adorei do que sobre um restaurante de que não gostei tanto. No entanto, estou firmemente convencido de que devo a honestidade de uma crítica isenta aos leitores do blog.
    Parece-me, no entanto, que o Miguel parte de um princípio errado na crítica que faz ao Casal Mistério: eu não sou um crítico gastronómico reputado e não pretendo sê-lo. Sou apenas um cliente normal que frequenta muitos restaurantes e que adora comer. É por isso que não tenho o mesmo método de trabalho dos críticos gastronómicos reputados: não aceito convites para almoçar com os donos dos restaurantes, não faço amizade com os chefs, não permito que me paguem a conta quando vou escrever sobre um espaço. Quero ser tratado como qualquer outro cliente - que não tem um tratamento especial, que não ouve as explicações dos chefs sobre o seu conceito e que, às vezes, quando faz perguntas para o esclarecerem sobre um prato, depara-se com um empregado que não lhe sabe responder.
    Este cliente normal tanto pode visitar um restaurante seis meses depois de abrir ou seis dias. E é por isso que eu escrevo sobre restaurantes que abriram apenas há dois meses, como aconteceu com o Chicken All Around - porque parto do princípio de que, quando um restaurante está aberto ao público, também está aberto às críticas.
    Isto para lhe dizer que infelizmente não poderei aceitar o seu amável convite, tal como tenho recusado o de tantos outros chefs que simpaticamente me têm convidado para visitar os seus espaços - porque tenho a certeza de que teria um tratamento especial e isso iria influenciar a minha opinião sobre o restaurante.
    Quanto aos argumentos que eu exponho no texto que escrevi, foram sinceramente aquilo que eu senti. Eu não sei se o frango passou por uma emulsão nem a quantos graus foi cozinhado. Eu sei apenas que estava seco. Tinha bem presente o sabor do molho chimichurri, mas estava seco demais para o meu gosto. E acho que os leitores do Casal Mistério gostariam de saber isso antes de lá irem. Se calhar, daqui a seis meses estará tudo muito melhor. É aí terei oportunidade de escrever outro texto.
    Espero que não me interprete mal nem tome esta resposta com qualquer amargura, mas acho importante que tanto os leitores como os chefs compreendam o conceito do Casal Mistério.
    Muito obrigado mais uma vez pela sua mensagem e espero sinceramente que o seu novo espaço seja um sucesso.
    Um abraço,
    Ele
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.